Aos meus pais

(desculpem a falta de acentos)

Aos meus pais eu devo muito, principalmente ser como eu sou. Aos meus pais devo a forca e a compaixao que tenho pelas pessoas. Aos meus pais eu devo a oportunidade de poder explorar, sonhar, crescer e realizar. Que alegria eh ter os meus pais, vivos e saudaveis E relativamente perto de mim. Acabo de passar a ultima semana em um povoado de 100 pessoas em uma serra no estado de Hidalgo aqui no Mexico. Literalmente 20 casas. Visitei uma senhora cuja filha vive nos Estados Unidos em NY (ver post “Amanha…”). Elas nao se veem ha 8 anos e como parte da minha pesquisa eu fui conhecer a familia. Quando eu cheguei na estacao de onibus la estava a senhora com um cartaz rosa escrito “Bienvenida Gabi”. Ela chorava, eu chorava, o neto (filho da minha amiga em NY) chorava. Para essa senhora eu fui a representacao mais proxima da filha ( e das outras filhas que tambem vivem em NY) dela. Eu nao conhecia essa senhora – Dona Cleme – mas parecia que nos ja nos conheciamos ha muito tempo. Ela me abracava como se estivesse abracando uma filha, me dizia que nao acreditava que alguem “tao importante” como eu havia ido tao longe para conhece-la. Para mim foi uma honra ser recebida assim.

Senti um pouco da sensacao de pais separados de seus filhos. De pais que tem que se sacrificar para tentar dar o melhor para seus filhos. Que passam pelo desespero de nao saber como os filhos estao. A Sonia filha da Sra. Cleme foi aos Estados Unidos ilegalmente trabalhar e deixou seu filho com a mae quando ele tinha apenas 6 anos. Quando abracei a Dona Cleme pensei na minha mae e como seria estar separada dela por 8 anos sem poder ve-la. Pensei no meu pai e como tenho sorte de te-los. O filho da Sonia – Aldo – eh um menino calado. Sorri pouco. Aos 14 anos ele nao se lembra da mae, nao sabe muito sobre a vida dela, nao sabe do que ela gosta ou nao gosta, nao sabe direito onde ela trabalha, nao conhece o marido dela, nao conhece o proprio irmao que nasceu em NY.

Imagine eu nao conhecer minhas irmas.

Fiquei muito proxima dessa familia. Tambem da avo (mae da dona Cleme) e da sobrinha que se chama Yessi. A mae da Yessi tambem a deixou. Nao precisou ir aos Estados Unidos, mas foi a outro estado no Mexico e levou um irmao dela. Nao tinha dinheiro para cuidar dos dois e teve que escolher um.

Imagine se a minha mae tivesse que escolher.

As historias de filhos separados dos pais e especialmente das maes sao infinitas. E as historias de avos que viram maes de pequenos outra vez tambem. Por isso aos meus pais eu agradeco por serem presentes em minha vida, por me darem conselhos e direcao. O povoado que eu visitei eh repleto de avos e netos. As criancas no geral apreciam o fato dos pais mandarem dinheiro para que vivam uma vida melhor, mas as vezes se confundem com os papeis de uma avo, da mae, de uma tia. Kevin, por exemplo, de 6 anos pergunta a avo: “mas eu sai da sua barriga?”. Aldo chama sua avo de “mama” e sua mae pelo nome. Algumas criancas tem a sorte de ter uma avo ou uma tia que os trata com carinho e amor. Algumas, como Sandra 9 anos, vao da casa de uma tia, a casa de um tio a casa de uma madrinha, depende de quem tem mais condicoes ou espaco.

Imagine eu nao ter a opcao de viver com meus pais, de nao poder ser criada por meus pais.

Claro que muitas vezes essas criancas estao em melhores cuidados quando estao com outros parentes, mas mesmo assim elas perguntam: o que pode ser mais importante do que eu para minha mae?

Obrigada pai e mae.

Biza, Yessi, eu, Aldo e Cleme
Advertisements

13 thoughts on “Aos meus pais

  1. Gabi, parabéns pelo trabalho. Bela experiencia de vida. Keep up the good work and God bless you.

  2. Nossa que texto lindo e que histórias comoventes! Te amo!!! Tb não viveria sem vc! Parabéns sister! beijo

  3. Gabi, que lindo!!! Muito obrigada, filha. Realmente nada é mais importante que a felicidade e a realização das minhas filhas…seu trabalho traz o mais importante: autoconhecimento e um incrível aprendizado sobre a importância que todos nesse mundo tem para nós. Parabéns e continue alargando sua sensibilidade. bjs minha querida. Mamãe

  4. Eu tinha gostado muito do seu blog e este texto me deu mais uma forte razão para voltar a visitar o seu blog. Como pai posso imaginar a emoção de Junior e Blenda ao lerem o seu
    texto. Nos dias atuais é muito raro os filhos reconhecerem a importância da participação
    dos pais na formação e transmissão de conhecimentos para os filhos.
    Parabéns pelo texto e pelo sentimento que você conseguiu transmitir emocionando a
    todos os que leram “Aos meus pais”

  5. Se emocionar é por vezes materializar algumas lágrimas ! me encontro neste momento emocionada. . . sinto que vc usou os olhos de sua alma para alcançar o sentir de um caminho ! Parabéns Gabi , por ter se tornado esse ser de luz , que não hesita em brilhar ! que a sua luz ilumine muitos caminhos ainda a trilhar ! com muito carinho e um beijo no coração , Tia dani

  6. A minha querida filha,
    Depois que nos falamos ontem por quase uma hora, em que voce relatou ( muito emocionada) a riquíssima experiencia que tinha acabado de ter no interior do Mexico, fiquei com um dúbio sentimento: aliviado por voce ter voltado de um lugar que não sabia exatamente onde estava, mas sabia que era perto do fim do mundo e muito, muito feliz por sentir em suas palavras toda a emoção e intensidade posta nesse trabalho. Parabens pela realização e obrigado pelas palavras, filha. Um beijo com muito amor.

  7. Querida Gabi, que palavras bonitas e que experiência fenomenal! Fico muito feliz por ti. E que felicicdade poder fazer um trabalho que te põe em contato com realizações que muitas vezes nos passam desapercebidas pela vida. Poder ser a pessoa que foi para Dona Cleme é sem dúvida, como escreveu, uma verdadeira honra. Outra vez, fico muito feliz por ti! E por teus pais! Beijos, tio

  8. Gabi,
    estou mais que emocionada!
    Fico encantada e muito tranqüilizada em saber que existem pessoas como você, capazes de distribuir amor e dividir conosco experiências maravilhosas e que são lições de vida para o mundo!
    O amor que circunda a sua família é inexplicável e imensurável e por mais que eu também tenha a maior sorte do mundo em ter uma família próxima a mim e que amo, tenho orgulho em dizer que me sinto como estas crianças e jovens. Pois seus pais, irmãs e você, me recebem como uma filha e transferem esse AMOR e essa COMPAIXÃO pelo outro também a mim!
    Desejo que cada vez mais você alcance os seus longos objetivos e tenho certeza que sua vida já é um case de sucesso!
    Parabéns e muito obrigada por iluminar nosso dia com conteúdos tão relevantes!
    Um beijo,
    Beta

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s